WhatsApp Grande

São Gonçalo ganha Casa de Acolhimento Infantil

Por Redação em 09/01/2019 às 22:45:47

Foto: Divulgação

Com o objetivo de assegurar o acolhimento e os direitos das crianças em situação de vulnerabilidade social, a Prefeitura de São Gonçalo, através da Secretaria de Desenvolvimento Social, inaugurou a Casa de Acolhimento Infantil (CAI). Com capacidade para abrigar 20 crianças, de seis a 12 anos, a casa fica localizada no bairro Zé Garoto e é fruto de uma parceria entre a Prefeitura, Ministério Público, Vara da Infância e Juventude de São Gonçalo e demais órgãos e entidades que atuam na luta pelos direitos da criança e adolescente. 

"Essa casa aberta hoje é fruto de muito esforço e dedicação. Com coração, com trabalho e empenho damos mais um passo no caminho de mudar a vida das pessoas através das políticas públicas", disse o prefeito José Luiz Nanci. 

Em 2018 o Brasil registrou mais de 30 mil casos de denúncias de violência contra crianças e adolescentes, através do Disque 100. O Estado do Rio ficou em segundo lugar no número de denúncias. De acordo com Luciana Costa, a assistente social quem irá coordenar a Casa de Acolhimento, não por acaso a palavra "casa" está no nome do abrigo. O objetivo do espaço, que irá receber crianças vítimas de violência e violação de direitos, é trazer outras possibilidades de ressocialização através de atividades lúdicas, respeitando a trajetória de cada criança.

"Aqui será um local de acolhimento. Um dos nossos maiores objetivos é fazer com que as crianças que chegarão sintam-se amparadas e tenham sua autonomia e autoestima de volta. Sabemos que o acolhimento institucional é um período curto, mas nossa equipe técnica, através de um trabalho humanizado e voltado para o bem-estar de cada criança, fará com que esse espaço seja uma casa temporária para cada criança que passar por aqui", disse a coordenadora. 

A equipe da Casa é formada por assistente social, pedagogo, psicopedagogo e educadores. O período máximo de acolhimento é de dois anos, e ainda de acordo com a coordenadora haverá a possibilidade daqueles que quiserem e se encaixarem nas diretrizes do programa se tornarem padrinhos afetivos. Para mais informações basta encaminhar um e-mail para o endereço [email protected]gmail.com

Para a Juíza Cristina Alcântara Quinto, da Vara da Infância e Juventude de São Gonçalo, um ambiente acolhedor poderá influenciar positivamente na construção de vida das crianças. 

"Uma casa de acolhimento para crianças é um espaço extremamente importante. Hoje São Gonçalo dá um passo que fica como exemplo para todas as cidades. Foi de grande importância a Prefeitura estabelecer essa parceria junto ao Ministério Público e possibilitar através deste espaço um futuro de possibilidades a cada criança que irá passar por ele. Esse perfil de seis a 12 anos não é o primeiro escolhido em casos de adoção. Portanto, enquanto não é possível o retorno para as famílias é fundamental que essas crianças estejam em um ambiente com cara de casa, e que as acolha. Toda criança merece ser amada e cuidada!", destacou. 

A secretária de Desenvolvimento Social, Marta Maria Figueiredo, reforçou o compromisso do poder público em promover qualidade de vida e garantia de direitos. 

"Esse é um momento de muita satisfação por estarmos cumprindo junto ao Ministério Público uma determinação que se fazia necessária para a proteção das crianças em nossa cidade. Passamos por muitas dificuldades mas não abrimos mão de vencer essa etapa e honrar nosso compromisso na garantia de direitos", disse. 

Banner 03 anuncie aqui sua empresa