WhatsApp Grande

Dois meses da Tragédia na comunidade da Boa Esperança

Nenhuma contenção de encostas foi feita

Por Rosa Ville em 12/01/2019 às 21:18:45

Moradores olham as cenas da tragédia desolados

Moradores temem mais chuvas e novos deslizamentos. Após 2 meses, nenhuma contenção de encostas foi feita.

A  tragédia que se abateu sobre da comunidade Boa Esperança que matou 15 pessoas na Região Oceânica, devido ao rompimento e deslizamento de um maciço, completou 2 meses  quinta-feira (10/01). Após o alarde inicial, que inclusive contou com o retorno do Prefeito Rodrigo Neves de viagem da Espanha, parece que nada mudou. Segundo moradores, muita gente ainda está desabrigada sem receber o benefício assistencial da Prefeitura de Niterói, e a comunidade teme que mais pedras ainda presentes causem mais estragos.
Segundo informações, a Prefeitura de Niterói informou que já realizou o pagamento de duas parcelas (novembro e dezembro) do benefício assistencial mensal, no valor de R$ 1.002,00, para 67 famílias. O benefício será pago por um ano. A Defesa Civil de Niterói interditou 62 imóveis, destes, 36 foram demolidos.


Pedras que tiram o sono!

Grandes pedras tiram o sono e causam grande preocupação nos moradores da comunidade, sobretudo neste período, em que há ocorrência de chuvas fortes. No local do deslizamento, dois pedregulhos aparentes assustam quem passa pela Rua Carlos Chagas, na comunidade da Boa Esperança.
A Caixa Econômica Federal, responsável pela construção dos empreendimentos, afirma que o condomínio está com a obra finalizada e em fase de legalização. Já a prefeitura diz que a entrega dos apartamentos para as famílias cadastradas no Boa Esperança, que optaram pela moradia no Fonseca, foi adiada para janeiro por conta de trâmites burocráticos junto ao Ministério das Cidades. 


A ver navios

Segundo moradores da região, apesar das casas que foram interditadas ou demolidas, nenhuma contenção foi realizada.

Reveja os fatos da tragédia.
Fonte: Guia de Niterói
Banner 03 anuncie aqui sua empresa