Topo

Uma geração desiludida e endividada

Jovens não enxergam mais a Universidade como um caminho promissor

Por Rosa Ville em 02/10/2018 às 09:34:22

Ainda com um número ainda é inegavelmente alto, em grande parte do mundo, a maioria dos jovens acredita que ter um curso superior é a melhor maneira de melhorar de vida - e décadas de estudos comprovam a relação entre maiores salários e mais tempo de escolaridade. 

Entretanto,  nos últimos anos, diferentes pesquisas vêm mostrando uma nova tendência, no sentido oposto: embora o valor conferido à educação superior continue alto, as enquetes realizadas com jovens em idade universitária indicam que eles estão se tornando receosos com o investimento (financeiro e temporal) em uma formação mais longa. Em países como Inglaterra e Estados Unidos, os jovens têm ido no sentido oposto. Ter um diploma deixou de ser um diferencial e os jovens estão receosos em investir tanto tempo e dinheiro na busca por um diploma que poderá ou não lhes trazer um futuro promissor.

O site norte-americano Glassdoor de busca de empregos, revelou que 15 grandes companhias da área tecnógica, não exigem formação específica de seus empregados. Eles só precisam comprovar experiência.Apple, IBM e Google são algumas delas.

A pesquisa demonstra uma inversão de valores que vem se modificando por décadas. Nos anos 70 a formação universitária era quase uma unanimidade, enquanto hoje, o que conta mesmo é "ganhar dinheiro".

A explicação vem do aumento do custo de vida nos EUA. Nos anos 70 um jovem gastava 358 dólares por ano  para estudar numa universidade pública, hoje o valor oscila entre 20 e 34 mil dólares (por ano). Segundo o Departamento de Educação americano, o custo do ensino superior aumento 9.000% em alguns estados americanos, enquanto a renda flutua entre 51% entre os anos 70 e o ano de 2016.

Um estudo da Credible, uma empresa que trabalha com empréstimos estudantis, revelou que a metade dos estudantes norte-americanos (49,8%) abririam mão do direito de votar para quitar as suas dívidas.

Na Grã Bretânha, mesmo e ensino sendo mais barato os fatos se repetem. Segundo o Sutton Trust que promove a mobilidade social pela educação, em 5 anos a procura pelas universidades caiu em 75% e os jovens não consideram importante frequentar uma universidade. Foram ouvidos 2,3 mil adolescentes entre 11 e 16 anos.

Fonte: Gazeta do Povo

Anuncie aqui