Presidente da associação de moradores do Santa Marta, José Hilário dos Santos já foi campeão de um concurso de poemas disputado entre as favelas do Rio. Sabendo disso, pedimos e ele fez um texto sobre o aniversário de dois anos da UPP Santa Marta.

Veja como ficou: Eu nasci na pobreza e na pobreza me criei. Vi a violência subir as favelas, adentrando becos, ruas e vielas. Vi a omissão de um estado democrático de direitos. Vi ser podado nossos direitos a saúde, educação, cultura, esportes, lazer e moradia, enfim.

Vi também a cracolândia, que junto à miséria, ao abandono, ao descaso, degradava o nosso povo, gente da gente. Crianças e adolescentes se misturavam com lixos, viviam como bichos, drogados e desesperançosos, talvez a pior das violências humanas, assistidas perante a luz do dia.

De repente uma metamorfose, conforme uma lagarta, que se transforma numa borboleta, para uma vida nova, eu vi um casulo romper para o nascimento de uma borboleta, que voando baixinho anunciava esperançosamente um novo dia, vida nova para os moradores do Morro de Santa Marta, era 19 de dezembro de 2008.

Nasceu a UPP – Unidade de Polícia Pacificadora, não para oprimir, sim para permitir que o Estado devolvesse àquele povo os seus direitos constituídos, que foram podados por décadas, para que os serviços públicos pudessem atuar na favela, sem considerá-la uma área de risco.

O nosso povo, nossa gente, os brasileiros vislumbram um futuro promissor, com a presença dos tentáculos do Estado, do poder público, dos empresário e da sociedade na favela. Levando ao povo melhorias de qualidade de vida, dignidade e, assim, elevando a sua auto estima. Crianças terão novos sonhos, novos ídolos e novas oportunidades. Terão uma vida nova.

*José Hilário dos Santos é presidente da associação de moradores do Morro de Santa Marta e foi campeão do concurso de poemas disputados entre favelas do Rio de Janeiro, credenciado pelo Centro Cultural Banco do Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui