A cocaína é classificada como droga semi-sintética, por sua produção ser realizada em laboratório a partir de psicoativos presentes na natureza, assim como o ópio, a heroína e o crack. Essas substâncias agem nas áreas do sistema nervoso ligadas à produção de hormônios relacionados ao bem-estar, por isso proporciona momentos de prazer. Com o tempo, é necessário usar doses cada vez maiores para saciar a necessidade, o que pode levar à overdose.

A cocaína é produzida a partir da mistura de substâncias extraídas da folha de coca e de solventes químicos como o querosene, o ácido sulfúrico ou outros. Os principais efeitos da droga no organismo durante sua atuação são a euforia, ausência de medo, ansiedade, excitação, perda do apetite e delírios, que duram cerca de meia hora.

Além dos efeitos prazerosos, ela age no organismo de forma perigosa. Seu uso causa o aumento da frequência dos batimentos cardíacos e da pressão sanguínea, entre outros sintomas que podem levar à morte imediata. O fim de seus efeitos no organismo tem como consequência o fim da euforia e, assim, o usuário é levado à depressão. O seu uso contínuo ainda pode levar a problemas na coordenação motora, amnésia e esquizofrenia.

O vício nessa substância pode levar a danos devastadores e irreversíveis e até mesmo à morte por overdose, que ocorre em casos mais graves.  Por isso é muito importante o tratamento desta doença que se torna um pesadelo na vida do usuário e de sua família.

O tratamento dos dependentes de cocaína é possível, apesar de muitas pessoas pensarem o contrário. Para que ele seja realizado com sucesso, o dependente deve estar ciente da sua necessidade e se submeter aos procedimentos voluntariamente. Como cada caso tem necessidades específicas, o mesmo tratamento não é realizado para todos os dependentes, mas, em geral, ele requer a diminuição gradativa da quantidade de consumo aliada ao uso de remédios e ao acompanhamento psicológico, principalmente nos casos em que o usuário apresenta distúrbios psiquiátricos.

A Clínica Maxwell, localizada em Atibaia, no interior paulista, atua na recuperação de dependentes químicos há 36 anos e tem os recursos necessários para o combate ao uso de drogas. Ao dar entrada na clínica, o paciente passa por exames que detectam seu grau de dependência para definir o tratamento a ser realizado durante sua permanência lá. Eles ainda podem aliar procedimentos clínicos e psiquiátricos à prática de esportes e a atividades lúdicas, que aceleram a recuperação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui