Sabe quando você acaba de fritar aquele pastelzinho em casa e não sabe como fazer para jogar fora o óleo que está na panela? Os moradores da Cidade de Deus agora sabem. Basta deixar na porta da fábrica de sabões e sabonetes artesanais Bolhas Coloridas, que foi inaugurada nesta quinta-feira na Rua Israel, número 124, em frente ao portão da Fundação para a Infância e Adolescência (FIA). O empreendimento é administrado por seis moradoras da própria Cidade de Deus, através do programa Elas em Movimento — uma parceria do ELAS Fundo de Investimento Social com a Chevron.

A fábrica será toda sustentável, utilizando o óleo de cozinha como matéria-prima e fazendo as embalagens com material reciclado. Para conseguir o óleo, as meninas vão utilizar diversos meios de comunicação: carros de som, panfletos e até visitas a alvos específicos, como restaurantes, fritadeiras e hotéis. Na entrada da fábrica elas vão colocar alguns galões para os moradores despejarem o óleo. A expectativa é captar 50 litros de óleo por semana, ajudando na limpeza da comunidade. Os sabonetes fabricados serão vendidos no mesmo local, com um preço 50% abaixo do praticado pelo mercado.

– O sabonete é apenas o produto final. Vamos reciclar um óleo que as pessoas jogavam na pia e acabavam em um esgoto, sujando a comunidade. Daqui a alguns anos, meus netos vão poder se orgulhar, falar que a avó deles foi pioneira de um projeto que está protegendo o meio ambiente. É emocionante estar fazendo algo para a nossa comunidade — explica Maria Lucia da Silva, a Malu, que agora é empresária.

Aliás, foi difícil conter a emoção quando Malu contou detalhes da sua recente história de vida. Nascida e criada na Cidade de Deus, ela morou durante seis anos com a família próximo ao Morro do Bumba, em Niterói.

Foi obrigada a sair de casa e perdeu tudo na tragédia que soterrou centenas de pessoas. O prédio onde Malu morava não caiu, mas foi interditado pela defesa civil.

– Tive que mudar a minha vida, meu filho ficou sem escola e não tinha para onde ir. Eu pirei, estava sem rumo, era o mês do meu aniversário. Vim morar na casa da minha avó aqui na Cidade de Deus e não tinha nenhuma perspectiva. Foi quando a minha irmã me apresentou ao projeto e tudo começou a mudar. Aprendi muita coisa aqui, estava em um momento de explosão, não sabia o que falar ou que respeitar. O projeto me fez colocar os pés no chão, erguer a minha cabeça e falei para mim mesma que venceria, ia para a luta nessa oportunidade unica da minha vida – revela Malu.

Não teve como segurar o choro na hora de receber o diploma de empresária. Mas eram lágrimas de felicidade, garante Malu, que recebeu a homenagem das mãos da capitão Alessandra Carvalhaes, comandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro da Formiga, que foi ao evento como convidada.

A pacificação aliás foi muito elogiada no discurso das novas empresárias da Cidade de Deus.

– Queria agradecer à UPP porque graças a essa pacificação da nossa comunidade é que nós fomos alcançados por alguém. Mulheres que tinham os sonhos perdidos, enterrados, agora estão acordadas para a vida de novo — disse Malu.

Os produtos serão vendidos na própria loja, mas ainda não existe um preço definido — o que deve acontecer nos próximos dias. A fábrica tem capacidade de produzir até 100 kg de sabão por dia. Sócia da empresa, Natasha Firmino explica que já existe um projeto para produção de detergente, também feito com a reciclagem do óleo de cozinha.

– Vamos fazer agora uma conscientização da comunidade, bater de porta em porta pedindo para eles reservarem aquele óleo. Como diz o nosso slogan, “faz bem para você e para o meio ambiente”.

Quem tiver interesse em comprar o sabão reciclado pode ir direto na fábrica da Bolhas Coloridas ou procurar alguma das meninas: Miriam Firmino, Natasha Firmino, Maria Lucia da Silva, Solange Aparecida, Uliana da Silva Pinto e Gleicy dos Santos. Essas são as novas empresárias da Cidade de Deus. Parabéns!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui