Os moradores de Copacabana ganharam mais uma opção para lavar e secar roupas. Localizada no alto da Ladeira dos Tabajaras, próximo à entrada para o Morro dos Cabritos, a “Ana Lava Tudo” oferece um preço mais baixo que o asfalto para conquistar os clientes que moram no bairro. E ganha mais ainda com a simpatia que atende a todos. Na primeira vez que vi a lavanderia, achei tudo muito estranho. Estava subindo o morro para mais uma matéria quando me chamou a atenção ver uma máquina de lavar e uma secadora dentro de um pequeno quiosque. A minha dúvida, era como as donas conseguiam ganhar algum dinheiro lavando roupa, se usavam apenas uma máquina. Não tinha como dar vazão. O interesse de entender aquela história apareceu, mas antes precisava terminar a matéria que tinha subido para fazer.

E foi assim que eu fiz…Quando então decidi voltar para apurar a matéria, não tinha ninguém dentro do quiosque. Pensei na hora: “perdi a chance de contar uma história e tanto”. Sentada em uma mesinha ao lado, a senhora que vestia os filhos para a escola perguntou se estava precisando de alguma coisa. Não imaginava que ela seria a dona da lavanderia, pensei que estava apenas esperando a van que levaria os filhos para a escola. As duas coisas. Além de ser a responsável pelo quiosque, Ana Lúcia Ferreira preparava os sobrinhos Nicole e Nicolas para a escola. Enquanto isso aproveitamos para conversar.

Ana Lúcia e a sócia Monica de Jesus Silva trabalhavam em lavanderias da Zona Sul, uma na rua Siqueira Campos e a outra na São Clemente. Até que no fim do ano passado elas decidiram usar a experiência para montar um negócio próprio na comunidade onde moram e montaram a “Ana Lava Tudo”. Tirando a minha dúvida lá do começo, Ana explicou que as roupas são lavadas em uma casa, onde estão algumas máquinas de lavar e uma secadora.

O quiosque montado na entrada da favela serve para receber as roupas ou lavar e secar caso o serviço seja rápido.

Os clientes por enquanto são moradores da comunidade que não têm tempo de lavar roupa em casa. Segundo Ana, os motoboys da comunidade também costumam usar o serviço porque geralmente são jovens que não sabem lavar roupa em casa. A empresa já é um sucesso e lava 10 quilos de roupa diariamente. As donas esperam agora, com a chegada da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), conquistar clientes do asfalto, principalmente do bairro de Copacabana. E usam o preço como principal atrativo. Na favela o quilo custa R$ 6, bem mais barato do que nas lojas onde as duas trabalhavam, onde é cobrado R$ 7,90 o quilo.

– Aqui é mais barato. Quem quiser lavar roupa aqui pode vir. É prático, rápido, a gente lava, seca e ainda passa – explicou Ana, feliz com a presença da polícia:- Depois que polícia entrou melhorou muito, principalmente porque as crianças podem ficar mais livres para brincar. Para a gente também é bom porque está até chegando mais roupa, mais trabalho – finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui